Fumaça força suspensão de pousos no aeroporto de VG por mais de uma hora

Fumaça força suspensão de pousos no aeroporto de VG por mais de uma hora

A espessa cortina de fumaça que recai sobre parte dos municípios da Baixada Cuiabana prejudicou as operações de voo do Aeroporto Marechal Rondon, localizado na cidade de Várzea Grande. No início da tarde desta segunda-feira (31), todas os pousos do terminal foram suspensos durante mais de uma hora por conta de problemas de visibilidade.

 

Informações do Corpo de Bombeiros Militar apontam que a fumaça é resultado direto da queimada que consome há três dias a vegetação dos paredões de Chapada dos Guimarães (67 km ao norte de Cuiabá). Um aumento na velocidade do vento norte é o responsável pela cortina de fumaça em Cuiabá e nas cidades vizinhas.

Ao portal , a comunicação do aeroporto informou que desde as primeiras horas do dia a baixa visibilidade tem forçado a utilização de instrumentação nas operações aéreas. Assim, todos os voos têm sido feitos de forma instrumental, sobretudo os pousos.

 

As aterrissagens foram as atividades mais afetadas por conta de a fumaça que paira sobre a Baixada Cuiabana estar muito próxima ao solo. Dessa forma, de acordo com o terminal, é mais fácil nas operações os pilotos superarem o 'teto' da cortina de fumaça nas decolagens do que pousar as aeronaves, pela proximidade com o chão.

 

Além do incêndio florestal em Chapada dos Guimarães, a concessionária Rota do Oeste, responsável pela BR-364, apontou que houve interdição de trecho da via por conta da baixa visibilidade também decorrente de queimada no município de Jaciara (144 km ao sul de Cuiabá).

 

Os bombeiros foram acionados para atenderem a ocorrência no início desta manhã de segunda-feira para atenderem a ocorrência no km 296 da rodovia federal. As equipes operacionais foram ao local com caminhões-pipa para conter o incêndio e a pista foi liberada no início da tarde, às 12h50.

Autor(a): Khayo Ribeiro

Fonte: Gazeta Digital