53% dos eleitores nunca pegaram ou viram a nota de R$ 200

53% dos eleitores nunca pegaram ou viram a nota de R$ 200

Anunciada no final de julho pelo Branco Central, a nota de R$ 200 entrou em circulação em setembro e assumiu o posto de cédula de maior valor na economia brasileira. E foi exatamente por isso que a fabricação da nota virou uma discussão entre os brasileiros, sobre quem poderá ter acesso a ela.


Pensando nisso, o  quis saber dos leitores: “Em setembro foi lançada a cédula de R$ 200. Você já conheceu e sabe da importância da nota para ajudar a movimentar a economia?”. A maior parte dos votantes respondeu que sequer chegou a pegar a nota do lobo-guará na mão.


De acordo com o resultado da enquete, aberta para votação no último sábado (14), 53% disse que “não, ainda não vi a cédula de R$ 200 e nem sei quem já fez negócios com a nota”. Em seguida, 38% responderam que “sinceramente, não sei qual o efeito prático da cédula de R$ 200 na economia”.

 

Apenas 9% disseram que “sim, já peguei na cédula, mas a maioria das pessoas ainda não teve acesso a nota de R$ 200”.


Ao justificar a criação da nova nota, o Banco Central afirmou que o auxílio emergencial criado em função da pandemia no novo coronavírus expôs a necessidade de uma cédula com valor mais alto em circulação. Para o CNM (Conselho Monetário Nacional), trata-se da solução que melhor atende ao interesse público.


A previsão é de que 450 milhões de cédulas de R$ 200 entrem em circulação até o fim de 2020, com o custo de R$ 113,4 milhões aos cofres públicos e injeção de R$ 90 bilhões na economia. A nova nota tem valor monetário de, aproximadamente, US$ 39.


Com a introdução da nova nota, a segunda família do real volta a ter sete cédulas — R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50, R$ 100 e R$ 200. Desde 2010, o tamanho de cada uma das cédulas do real varia de acordo com o valor. Até então, todas cédulas em circulação são caracterizadas pela exibição da efígie da República de um lado e um animal da fauna brasileira de outro.

Autor(a): Vitória Lopes Raphael Ribeiro/BCB

Fonte: Gazeta Digital