'Iluminado', Beleza brilhou dentro e fora de campo; veja relatos

'Iluminado', Beleza brilhou dentro e fora de campo; veja relatos

Nascido Luiz Carlos José da Silva, o "Beleza" marcou uma geração do esporte nacional e, quando em Mato Grosso, fez sucesso nos maiores times do estado. Ao portal , o comunicador e ex-prefeito de Cuiabá Roberto França (Patri) e o ex-árbitro e jornalista Orlando Antunes não só lamentaram o óbito do futebolista, mas destacaram o brilhantismo do ex-lateral direita do Mixto.

 

Natural do Rio de Janeiro, Luiz Carlos Beleza iniciou no mundo do futebol no Botafogo. Contudo, o auge da carreira nacional se deu mesmo no Santos, onde jogou ao lado de Pelé - fato que sempre compartilhava com todos ao seu redor com orgulho.

O apelido Beleza, inclusive, foi dado pelo rei do futebol. "Foi uma gozação que Pelé fez com ele por conta da feiúra. Uma feiúra física. Aí o Pelé apelidou ele de Beleza. E ele se orgulhava de ter jogado ao lado do rei, nos momentos áureos do Santos, que chegou a ser campeão do mundo", relembrou França.

 

Com pouco espaço no time da Vila Belmiro, Beleza chega a Mato Grosso em 1977 e tão logo começa a jogar pelo Mixto. O jogador vive o ápice de sua carreira no estado no time cuiabano. Porém, também marcou passagem pelo Operário, União e o Palmeirinha.

 

Mesmo sem perder nenhum passe e estar sempre à frente dos adversários, o ex-jogador não conseguiu superar o que é considerada a parada final para muitos esportistas, a idade.

 

"Esse negócio de aposentadoria de futebol não é igual na vida comum. Na vida comum, o cara se aposenta só com 35 anos de serviço prestado. O jogador tem uma vida mais curta. O jogador quando passa dos 30 já passa a ser considerado velho. Se bem que tem muito jogador hoje jogando perto dos 40. Mas naquela época, o jogador com 32, 33, já estava parando", apontou Orlando Antunes.

 

A chegada dos 30 anos desacelerou a carreira de Beleza, que rapidamente foi captado por França para orientar o programa "Bom de Bola, Bom de Escola".

 

"Nós pegávamos os craques que paravam as atividades. Aproveitávamos o conhecimento deles para ministrar aulas para as crianças. E aí eu fui conhecer um outro Luiz Carlos Beleza. O outro Luiz Carlos Beleza era um ser humano espetacular. Uma pessoa simples, humilde, de muitos amigos, sempre brincalhão e nunca teve inimizade com ninguém", reiterou França.

 

No relato de quem conviveu de perto com o ex-jogador, o eterno lateral direito do Mixto irradiava vontade de viver e alegria dentro e fora de campo. Brincalhão e amigável eram quase sinônimos de Beleza para aqueles que estavam ao seu lado.

 

"Uma pessoa iluminada, essa é a verdade. Porque além de ser um grande futebolista tinha uma alma pura. Vivia alegre e não tinha tempo ruim com ele não. Uma pessoa iluminada, essa é a palavra mais justa", lamenta Antunes.

 

De reputação ilibada, Beleza foi lembrado pelo Mixto por meio de nota mesmo há anos afastado de campo. Em comunicado oficial, o time lamentou sua morte na tarde desta terça-feira (17) e prestou condolências à família.

 

Até a publicação da matéria não há informações sobre o local do velório e do enterro do ex-jogador.

Autor(a): Khayo Ribeiro FOTO Mixto

Fonte: gazetadigital