Candidato em MT teria sido financiado por facção de Beira-Mar

Candidato em MT teria sido financiado por facção de Beira-Mar

O candidato a vereador em Barra do Garças, Flávio Braga da Silva (MDB), mais conhecido como “Hulk”, é investigado por receber financiamento para campanha da quadrilha do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

 

Na última quinta-feira (12), Hulk foi alvo da Operação Captura de Estado, deflagrada pela Polícia Federal, que investiga a infiltração de criminosos no poder público.

 

As informações foram divulgadas em uma reportagem do Fantástico, da Rede Globo, nesse domingo (15).

 

O grupo, tendo como uma das lideranças Maria das Graças Vieira Fernandes, conhecida como "Malévola", em Barra do Garças, teria feito uma votação interna para escolher o político que seria financiado. Um dos critérios para seleção seria a ficha limpa do candidato para não levantar suspeitas, conforme a reportagem.

 

“Nós estamos tendo uma enquete no nosso vereador. O que ganhou foi o Hulk”, diz Malévola em áudio interceptado pela Polícia.

 

Em 2004, ela foi candidata a vereadora em Nova Iguaçu (RJ), mas não chegou a ser eleita. No dia da operação, a suspeita foi presa em flagrante ao tentar destruir um celular apreendido.

 

Em outro áudio para a facção, "Malévola" afirma que Hulk ajudaria os criminosos a enfrentarem o poder público e a polícia.

 

“Quero continuar ferrando a vida desse pessoal, mas para a gente continuar ferrando, é melhor ficar unido”.

 

Ainda conforme a reportagem, n cidade, os faccionados estavam ameaçando a população e exigindo que os moradores votassem em Hulk, dando início às investigações. Mesmo sendo alvo, ele continuou na disputa, mas recebeu apenas 14 votos em sua primeira candidatura.

 

Se eleito, conforme a PF, o candidato a vereador poderia agir seguindo as instruções da quadrilha como representante do crime na Câmara.

 

Traficante internacional

 

Líder do Comando Vermelho, Fernandinho Beira-Mar é considerado é considerado um dos maiores traficantes de drogas e armas da América Latina.

 

Ele foi preso na Colômbia, ao tentar unir forças com as FARC. Hoje, ele cumpre pena de 309 anos de prisão.

Autor(a): BIANCA FUJIMORI DA REDAÇÃO Foto Montagem/Reprodução

Fonte: Midia News